Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Zurraria - Dizem-me que aqui se escrevem coisas...

Zurraria - Dizem-me que aqui se escrevem coisas...

26
Nov07

my man... - American Gangster

Bruno Nunes
Quando a esmola é grande, o pobre desconfia, e às vezes faz bem em desconfiar.
Desde o inicio da produção que American Gangster anda com um gigantesco sinal luminoso a dizer "Oscar Material", para todo o mundo ver. Ora isto acarreta uma grande responsabilidade para as pessoas envolvidas, essencialmente na tentativa de corresponder às expectativas criadas nos largos meses que antecederam a estreia.
É certo que o filme deixou muita gente com um sentimento de semi-desilusão, ou mesmo desilusão, muito por culpa da diminuta quantidade de verdadeiras cenas de acção com sangue e balas a voar por todo o lado, à la Scarface, por certo.
American Gangster é uma obra impecável de Ridley Scott, mas não será o melhor filme de gangsters do cinema americano. Ainda assim safa-se bastante bem, e por certo estará a julgamento nos Oscars deste ano. O problema é que fica o sentimento de que falta algo ao filme, apesar das duas horas e meia de película. Se calhar estamos mal habituados com os finais em apoteose com que termina a grande maioria dos filmes do género. A isto acresce o facto de em American Gangster se sentir um cheirinho do Zodiac de David Fincher. Digo eu...
Será a atmosfera dos anos setenta ou a personalidade de Richie Roberts e Frank Lucas que me remete para a personagem Robert Graysmith de Jake Gyllenhaal. Enfim, se calhar é só parvoíce minha. Quem esperava um festival de bazófia foi bater à porta errada, mas não pode ter dado o dinheiro do bilhete por perdido.
O grupo de actores de American Gangster é só por si garantia de um grande trabalho, mais não fosse por ter Russell Crowe e my man... Denzel Washington, mas não posso deixar de realçar o espectáculo que é ver Josh Brolin, um bad motherfucker à antiga.
American Gangster está bem de saúde e recomenda-se. Ainda que tenha algumas falhas, não deixa de ser um dos bons filmes do ano e mais uma bela obra do mais velho dos irmãos Scott.

Já agora, o que também se recomenda é o álbum homónimo criado por Jay-Z com inspiração no filme. Coisa jeitosa e bem trabalhada, retorno ao oldschool, nas letras e nos sons, como há algum tempo não se via em jigga.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Zurras Mail

zurraria@gmail.com

Zurraria

Para além de ocuparmos espaço na net, não fazemos mais nada...

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2005
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D